Localizado no sudeste do Estado do Piauí, o Parque Nacional Serra da Capivara é um parque que foi criado com o intuito de preservar a cultura, o meio ambiente e ampliar o turismo na região. Ele ocupa os municípios de São Raimundo Nonato, João Costa, Brejo do Piauí e Coronel José Dias.

O parque foi criado para proteger uma área na qual se encontra o mais importante patrimônio pré-histórico do Brasil. Há no local uma riqueza de vestígios que se conservaram durante milênios, devido à existência de um equilíbrio ecológico, hoje extremamente alterado. O equilíbrio entre os recursos naturais é a condição para que se conservem os recursos culturais e foi o que orientou o zoneamento, a gestão e o uso do Parque pelo poder público.

Na região, encontram-se pinturas e gravuras rupestres, nos quais se encontram vestígios extremamente antigos da presença do homem (100.000 anos antes do atual). Há 912 sítios arqueológicos cadastrados e 657 com pinturas rupestres.

A região fica entre duas grandes formações geológicas, a bacia sedimentar Maranhão-Piauí e a depressão periférica do rio São Francisco, misturando paisagens variadas nas serras, vales e planície, com vegetação de caatinga. É uma das últimas áreas do semi-árido que possuem fauna e flora específicas pouco estudadas.

E claro, com tanta beleza era natural que se tornasse região turística, o que acabou também impulsionando a economia local.

A cidade mais próxima do Parque Nacional é Cel. José Dias, sendo a cidade de São Raimundo Nonato o maior centro urbano. A maneira mais rápida para chegar ao Parque é através de Petrolina-PE, distante 300 km. A cidade de Petrolina dispõe de um aeroporto onde opera atualmente a Gol, e a BRA, ligando a região com Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

É um local com vários atrativos, museu a céu aberto, entre belíssimas formações rochosas, onde encontram sítios arqueológicos e paleontológicos espetaculares. O parque nacional foi fundado graças em grande parte ao trabalho da arqueóloga Niède Guidon, que hoje dirige a Fundação Museu do Homem Americano, instituição responsável pelo manejo do parque.

É a área de maior concentração de sítios pré-históricos do continente americano e Patrimônio Cultural da Humanidade – UNESCO. Contém a maior quantidade de pinturas primitivas sobre rocha do mundo. Estudos científicos confirmam que a Serra da Capivara foi densamente povoada em períodos pré–históricos.

Desde a colonização, o Parque Nacional Serra da Capivara foi utilizado pelas populações vizinhas que neles caçavam, plantavam e retiravam a madeira. Essa população, extremamente pobre e sem nenhuma fonte de trabalho, além da exploração dos recursos naturais, vive na Área de Preservação Permanente, uma faixa limítrofe com dez quilômetros de largura.

Por isso, ao elaborar o plano de manejo do parque, a Fundação Museu do Homem Americano, estabeleceu uma política de proteção que inclui a integração da população  que habita nas proximidades do parque às ações de preservação. Há um projeto de desenvolvimento econômico e social que visa educar e preparar as comunidades para que possam participar do mercado de trabalho que o parque está criando na região. O plano de manejo considera a população atual como um dos elementos dos ecossistemas a serem preservados e propõe que o Parque Nacional seja o motor de criação de recursos econômicos, em uma área onde a seca impiedosa limita ao extremo a agricultura e a criação.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *

apagar formulárioEnviar