Lugares para viajar em Abril



Abril é mês de comemorações históricas no Brasil. No dia 19 de abril temos o dia do índio, primeiros habitantes nativos de nossa terra tupiniquim, no dia 21, relembramos Tiradentes e a Inconfidência Mineira, e finalmente, no dia 22 de abril, comemoramos o descobrimento do Brasil. Para que estas e outras datas saiam dos livros escolares e tomem vida, nada como viajar para conhecer a história “in loco”, não é mesmo?

Que tal começar por onde tudo começou? Porto Seguro, na Bahia, é o marco zero do descobrimento do Brasil, o primeiro local onde atracaram as caravelas Santa Maria, Pinta e Nina, trazendo consigo Pedro Álvares Cabral, o escrivão Pero Vaz de Caminha e outros lusitanos que seriam responsáveis pelos primórdios de nossa futura civilização. A arquitetura da época ainda está preservada nas construções que datam do século XVI.

Ainda na Bahia, vale a pena visitar Salvador, que foi a primeira capital do Brasil e sede do poder da coroa portuguesa por 214 anos, de 1549 a 1763. Já no século XVI, a cidade foi o maior porto da chegada de escravos africanos, o que deixou uma forte herança cultural africana, que pode ser observada na arte, na cultura e na culinária de Salvador, que ainda hoje é a capital brasileira com maior população negra.

Em Santo Antônio das Missões, no Rio Grande do Sul, uma pequena cidade do interior gaúcho, foi abrigada a sesmaria de Santo Antônio, pertencente aos jesuítas que tinham como missão catequizar os índios guaranis. Na cidade há belas ruínas de igrejas construídas pelos jesuítas, na região turística das missões, há outras cidades históricas como Salvador das Missões, Santo Ângelo, São Luiz Gonzaga, São Miguel das Missões e Vitória das Missões.

Na região Nordeste, Recife e Olinda viveram um período de 24 anos de ocupação holandesa no século XVII, de 1630-1654. Os holandeses chegaram aqui atraídos pela cana-de-açúcar e instalaram-se nas vilas. Os vestígios holandeses podem ser vistos na arquitetura do Recife Antigo, centro histórico da capital de Pernambuco, além dos museus que guardam documentos e outros itens para que possamos compreender melhor um pouco essa fase histórica do Brasil.

Ainda no século XVII, Paraty era um importante porto do país, fundada em 1667. O local foi usado durante muito tempo para exportação das riquezas produzidas e extraídas no Brasil, basicamente ouro, açúcar e café. Passeando pelo centro histórico de Paraty, que permanece preservado, pode se notar os traços do período colonial, como o sistema criado pelos moradores para evitar que a água invadisse as casas.

Impossível passar pelo Rio de Janeiro e não visitar a própria cidade do Rio, fundada em 1565 por Estácio de Sá, nomeada então São Sebastião do Rio de Janeiro, em homenagem ao rei de Portugal, Dom Sebastião. Em 1763, o Rio era a capital do Brasil, e assim permaneceu até 1960, quando inaugurou-se Brasília que veio a ser a nova capital. O centro histórico do Rio preserva prédios de arquitetura colonial, imperial e republicana.

Minas Gerais guarda boa parte da história do Brasil, particularmente do período da Inconfidência Mineira – movimento que lutou pela independência do País – que pode ser visto nas ruas das cidades históricas de Minas Gerais. Ouro Preto abriga o Museu da Inconfidência, que tem um primoroso acervo de objetos e documentos do Brasil colonial. Na região, há cidades históricas igualmente importantes como Mariana, Tiradentes, Diamantina, São João Del Rei, Congonhas e Sabará. As igrejas da região ostentam fachadas e obras barrocas de importantes artistas brasileiros, como Aleijadinho e suas inesquecíveis esculturas em pedra sabão.

É comum pensarmos em Manaus, no Estado do Amazonas associando-a aos índios. E ainda que, como já mencionamos, os índios sejam parte importantíssima de nossa história, Manaus vai além disso. A cidade foi importantíssima durante o ciclo da borracha, no final do século XIX. O Teatro Amazonas, principal patrimônio cultural arquitetônico, foi erguido entre 1882 e 1896 no auge da exploração da borracha. Sua cúpula é composta de 36 mil peças de escamas em cerâmica esmaltada e telhas vitrificadas, vindas da Alsácia, na França.

E não há como falar em História do Brasil sem mencionar a capital Brasília. A cidade foi projetada para ser a capital do país, sendo inaugurada em abril de 1960 pelo presidente Juscelino Kubitschek. Brasília é a terceira capital do Brasil, após Salvador e Rio de Janeiro, quarta cidade mais populosa e a região mais desenvolvida do Goiânia a região mais desenvolvida do Centro Oeste brasileiro. O plano urbanístico da capital, conhecido como “Plano Piloto” foi elaborado por Lúcio Costa, que aproveitou o relevo da região e adequou-o ao projeto do lado Paranoá, junto ao renomado arquiteto Oscar Niemeyer que projetou muitas das construções da Capital Federal. Leve o conhecimento da sala de aula para a vida real da maneira mais divertida possível, visitando estes e outros tantos lugares que fazem do nosso país o caldeirão multicultural e tão rico de diversas formas, de Norte a Sul.

Relacionados

Deixe um comentário